• Agência ZeroUm

A dualidade da ética brasileira

A ética é, costumeiramente, associada a um viés político. Mas, afinal, o que seria ética?

Opções e escolhas. Foto de Elijah O'Donnell no Pexels.
Opções e escolhas. Foto de Elijah O'Donnell no Pexels.

Para melhor entender a dimensão ética que influencia a sociedade brasileira nos últimos anos, a Agência ZeroUm entrevistou Maristela Fittipaldi, Doutora em Comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e professora universitária da disciplina Legislação e Ética no Jornalismo para entendermos a dimensão e a volatilidade do entendimento da ética no país.


A ética, muitas vezes, parece estar ancorada em pontos de vista diferentes ou mudar conforme a necessidade de dado momento. Mas afinal, o que seria ética? Maristela argumenta: "Pensadores de todas as épocas se fizeram esta pergunta e buscaram definir a ética. E toda tentativa de definir é sempre uma limitação, uma cristalização de algo que está ancorado em uma realidade que está sempre em transformação". Porém, ressalta que a definição de ética, caso fosse necessário reduzir em uma única frase, seria:


"Ética é a reflexão e o questionamento permanentes a respeito dos valores que sustentam as relações humanas e forjam os princípios que guiam as ações do ser humano em sociedade, numa busca por aquilo que se convencionou chamar de bem comum".

Quanto à associação equivocada existente, a professora universitária sinaliza que no Brasil, a ética se confunde com lei e moral, com regras e imposição, e não como aquilo que possa ser assumido como melhor e que nos permite viver bem em sociedade. Estes fatores podem estar diretamente ligados à crise ética que estamos vivenciando e que tem reflexos diretos na política, na economia, no meio ambiente, na educação, na saúde, nas relações sociais, na naturalização da morte, na inversão dos valores.


Maristela entende que um ponto primordial relacionado à questão ética foi pulverizado e "substituído, em grande medida, pelo bem individual, por um individualismo exacerbado, pelo pensar em si e no seu bem estar".


"O imediatismo, o pragmatismo, o individualismo, o consumismo... esses são os valores prezados e acalentados hoje, e que estão refletidos em todas as instâncias sociais".

No que diz respeito à corrupção em todos os setores da nossa sociedade, a professora universitária identifica que este é apenas um dos exemplos da ruptura com a ideia de 'bem comum' que a própria ética pressupõe. A corrupção, por sua vez, "impede a responsabilização de quem merece ser julgado por seus erros, tira verba da merenda da mesa das crianças na escola, impede que a verba chegue aos hospitais, permite construções em áreas de proteção ambiental".


E quando retomamos o significado original da palavra, advinda do grego ethos,que significa costume, caráter, hábito, modo de ser, morada, pode-se perceber que ética é, o resultado das escolhas de valores que são feitas ao longo da vida. A ética é uma construção, uma conquista social que o homem deve se colocar ao longo de sua caminhada.




Bruno Velasco

Agência ZeroUm