• Agência ZeroUm

A Sociedade dos Eleitos

Sobre modelos de vida apresentados, seguidos e o que deveria ser feito. A distância que existe entre o ser, o pensar e o agir.

Caminhos que se cruzam - Foto: Wix.
Caminhos que se cruzam - Foto: Wix.

Somos mero espectadores de nossa existência? No mundo de hoje, distorcido por meias verdades, meias mentiras e falsos significados, o ser humano encontra-se repleto de informações, muitas das quais sequer sabe como lidar. O ideal de vida que se busca sob a ótica de qualquer prisma ou mesmo baseado em viés religioso deve, necessariamente, passar por um modelo positivo permeado por Solidariedade.

No que tange o campo religioso, as leituras que se fazem hoje a respeito das vontades de Deus podem - em muitos interlocutores - estar distorcidas. Poderíamos em muitas linhas discorrermos sobre 'a imagem que temos de Cristo', mas qual seria o oposto? Sendo criados imagem e semelhança de Deus, quando foi que nos corrompemos de novo e esquecemos o que era nosso objetivo maior?


O ideal de cristão que se tem, poucas vezes é encontrado nos outros. Talvez nunca seja encontrado sequer em nós mesmos. Não conseguimos conhecê-lo em verdade pois está distante demais da realidade que nos circunda. Assim, deve ser retirado do campo das ideias e passar ao campo da prática. Só assim se estabelecerão as pontes que permitirão a Solidariedade tomar espaço em nossas vidas. Apenas com gestos nossas ações podem ser percebidas e tomadas como exemplo.


Dentro da mesma ótica, quando determinada pessoa não se mostra como modelo a ser seguido, esta se encontra entre aqueles que devem ser alcançados pela Solidariedade. Pois bem:


Cristo com sua Metodologia de Amor, Misericórdia, Caridade e Compaixão mostra inúmeras vezes que retirar do profano é o primeiro passo para que a alma possa ser preparada para o encontro com o divino.

E muitos foram retirados do papel não digno: Leprosos foram curados, Samaritanas ouvidas, Mulheres não foram mais apedrejadas. Todos foram reinseridos ao convívio. A Solidariedade se fez Misericórdia, Caridade, Amor e Compaixão. Seja no foco social ou espiritual, transformações ocorrem. Não são repentinas e fazem parte do embate diário de cada um. Este dia dia individualizado é que torna a consciência viva e eficaz.


A Sociedade dos Eleitos, por sua vez, ignora as necessidades que existem no dia a dia. Esquece que todos somos feitos de igual matéria. Que nossas vidas são construídas no percalço também para além das breves vitórias. E que através da vida de exercício, de quedas e descarrilamentos é que se constrói um caminho real. Idealizado ou não.


Não obstante, somente aquele que sai do campo das ideias para a prática consegue a leveza de entender as misérias do mundo, compreender as belezas da vida e amar conforme a vontade daquele que ensinou. Enxergar a mensagem em vez dos mensageiros. É nosso papel como sociedade de atuar para que todos tenham a real possibilidade da segunda chance. De se sentirem eleitos. Afinal, solidariedade não escolhe condição, ela prevê necessidades, se predispõe e age.





Bruno Velasco

Agência ZeroUm