• fabiobiao21

Até onde o sonho pode ir

O fut7 é, para muitos, a realização de um sonho de criança. Joga-se em campo, times uniformizados, campeonatos, tabelas, prêmios. Aos poucos, vai crescendo mais, com a entrada das “camisas”. Por outro lado, era onde aqueles que não tinham conseguido entrar no futebol de campo profissional também realizar o mesmo sonho.

Com o crescimento e organização da modalidade, a cada dia vemos mais jogadores que atuam nos dois nichos. Guido, Wlad, Chay, Felipe “Fala Fino”, Bruno Leite, dentre outros. Então, para aqueles que ainda vêem o fut7 como uma pelada organizada, fica a dica para reverem isso. Pode ser da “grama artificial” que venha a oportunidade que se tanto espera e jogar na “grama raiz”. De repente, até pegar um jogo no Maracanã, contra uma grande camisa. De repente, uma transferência, uma vitória e, mais adiante, uma transferência.


Fora do campo também tem espaço. Marcellus Monteiro, Rafael Buti, Raphaloco, Rogério Corrêa, Flávio Azevedo. Esses são alguns dos nomes que atuam ou atuaram em comissões técnicas de times de futebol de campo. O fut7 deixou de ser brincadeira. Ainda há espaço para os que querem brincar mas, para isso, é preciso um mínimo de organização. E, já que é pra brincar, que se brinque direito.


Tive um chefe que dizia que “pensar grande e pensar pequeno dá o mesmo trabalho”. E é por aí. Tem que sonhar! E sonhar direito. De repente, é o que te falta para que isso se torne realidade e você se realize no futebol como sempre, desde criança, imaginou.

Fabio Bião