• Agência ZeroUm

'As máscaras caem: é ano de eleição'

A falta da divulgação de um estudo com dados sólidos deixa de tranquilizar e polariza a questão em torno da popularidade em ano eleitoral.

Foto: CDC - Pexels.
Foto: CDC - Pexels.

A máscara antes tão defendida em tantos estudos, agora é descartada sem nenhum consenso ou afirmação positiva. Autoridades não demonstram segurança nos dados que apresentam. Estudos desencontrados servem, muitas vezes, para reforçar um posicionamento dúbio.


A pandemia que ainda não acabou continua matando mais de 500 pessoas por dia no Brasil, as decisões em diversos níveis governamentais se mostram questionáveis e também pouco transparentes.


Nas ruas, a população se divide em usar ou não usar máscara sem qualquer suporte real de como se deve agir e enfrentar a COVID-19. Saímos do verão sem a certeza de um progresso. A maior pandemia dos últimos tempos, no hemisfério sul, vai entrar em mais um período frio. Veremos.



Bruno Velasco

Agência ZeroUm