• Agência ZeroUm

Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, uma data e uma vida inteira de direitos e oportunidades

Atualizado: 4 de Dez de 2020


Foto de Królestwo Nauki no Pexels
Foto de Królestwo Nauki no Pexels

Poucos sabem, mas no dia 3 de dezembro é comemorado o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência. Esta data foi estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) no ano de 1992 com o objetivo de gerar discussões sobre a situação da pessoa com deficiência, seus direitos e necessidades.


A Agência ZeroUm convidou Camila de Luca responsável pelo Além da Cadeira para uma bate-papo a fim de nos ajudar a entender o mundo que muitos não observam, infelizmente:


Hoje em dia, há mais preconceito ou desconhecimento a respeito da vida do cadeirante?


"O preconceito surge exatamente pela falta de conhecimento, pela falta de convivência, pela forma como, historicamente, as coisas são apresentadas e ensinadas pra gente. Então uma coisa está necessariamente ligada à outra".


Com o intuito de informar da forma correta, qual seria a terminologia mais adequada para lidar: cadeirante, PCD ou outro? Qual seria?


"Quando nos referimos ao grupo de pessoas com deficiência em geral, o termo correto é esse; Pessoas com Deficiencia (Pcd), mas quando nos referimos a uma pessoa específica, obviamente, a chamamos pelo nome. Estamos cansados de ver matérias na mídia tratando uma pessoa com deficiência sempre pela deficiência e nunca pelo nome; ou pelo que a pessoa é, por exemplo; “Mulher com deficiência faz vídeos para o Youtube”, o termo Pessoa com Deficiência foi escolhido justamente porque PESSOA vem antes da deficiência. Mas insistem em colocar a deficiência antes da pessoa".


Quais os desafios no dia a dia e no mercado de trabalho?


"São milhares. Não temos acesso à mobilidade urbana, o que é o primeiro empecilho pra gente chegar ao local de formação escolar e de trabalho. Depois disso temos a eterna visão das pessoas sobre a nossa “incapacidade” de aprender, de fazer, de render... Apenas 5% das crianças com deficiência chegam ao ensino médio, temos menos de 1% de pessoas com deficiência inseridas no mercado de trabalho... O cenário é desastroso. E mesmo as poucas que conseguem terminar a escola e conseguem arrumar emprego. Não tem as mesmas oportunidades das pessoas sem deficiência. Já vi pessoas graduadas, pós graduadas, com 10 anos de empresa ficar pra sempre na posição de auxiliar administrativa, pois as vagas de cotas sempre estão nesse nível. A Lei de Cotas é necessária sim, mas ela é concebida e praticada já a partir do pressuposto que somos menos eficientes".


Qual a importância da inclusão social e quais expressões utilizamos de maneira inadequada e das quais muitos ainda não se dão conta da agressão que é?


"Temos um vocabulário muito baseado em preconceito, isso não se aplica somente pra pessoas com deficiência. Ainda achamos normal falar “mulato”, “marica”, “retardado”... Até no meu caso, que sou PcD é difícil desconstruir essa maneira de falar. É importante conhecermos de onde vem as expressões e o que elas querem dizer. No caso de PcD´s, “joão sem braço”, “retardado”, “desculpa de aleijado é muleta”... Para pra pensar um pouco no quanto isso é ofensivo pra quem tem deficiência? Sabemos que não é propositalmente pra nos ofender, mas enquanto a gente continuar no automático, nos justificando com “não é por mal” nada vai mudar".

O que é CAPACITISMO?


"É a discriminação social contra pessoas com deficiência. Uma sociedade capacitista enxerga a ausência de deficiência como normal e pessoas com deficiência são vistas como incapazes. A deficiência é vista como algo a ser superado, corrigido ou tratado, curado... O termo tem relação com CAPACIDADE, pois somos vistos como incapazes de sermos pessoas autônomas, produtivas, independentes, amorosa e sexualmente ativas..."


Podendo deixar uma mensagem para as pessoas com deficiência, qual seria?


"Não se permitam ser invisíveis. Não é fácil, estamos muito sozinhas e isoladas, mas não podemos nos conformar com isso".



Querendo deixar uma mensagem para as pessoas que não possuem deficiência, qual seria?


"Abram os olhos pelo amor de deus, as lutas sociais estão cada vez maiores e ainda continuam esquecendo que pessoas com deficiência existem. Vocês precisam lembrar da gente, enxergar a gente, ouvir a gente".



Nas próximas 3 semanas, a Agência ZeroUm publicará artigos voltados aos debates e discussões necessários para que consigamos como sociedade reverter este cenário, enxergar as necessidades de todos para que possamos juntos construir um futuro melhor sem que ninguém fique de fora.





Bruno Velasco

Agência ZeroUm