• Agência ZeroUm

Empreendendo em meio à pandemia

Uma lição de coragem, planejamento e visão estratégica.

Louise Maggiorini, empresária.
Louise Maggiorini, empresária. Foto: Arquivo Pessoal.

Investir para os que se planejam pode ser a junção bem-casada da ocasião com a oportunidade de um investimento bem alinhado à sua visão de negócio. Contudo, a pandemia potencializou os desafios de qualquer empreendimento.


Além dos tradicionais impostos já sinalizados como obstáculos, dos trâmites processuais, a política para pequenos negócios não auxilia a geração de novos empregos. A burocratização sistematiza ao ponto de desmotivar empreendedores em vez de organizar o processo como um todo e facilitar as medidas necessárias.


O cenário vivido desde março de 2020 desbalanceou o mercado pulverizando opções. Deu novos formatos quase extinguindo alguns modelos. Desfez prospecções. Derrubou previsões e mostrou que seria preciso ter uma visão mais apurada para investir.


A falta de experiência com empresas não impediu que Louise Maggiorini iniciasse um novo negócio com seus sócios. Para estar melhor fundamentada, a mesma investiu em alguns cursos como Movimento de Caixa, Folha de Pagamento, Capital de Giro, Mercadológico e Investimento. Estes cursos estão disponíveis no portal do Sebrae e ajudaram a nortear o que seriam os próximos passos para que a empresa saísse do papel, bem como nos primeiros meses de vida.


Entretanto, a empresária faz um alerta. A falta de linhas de crédito antes do primeiro ano de vida é um ponto a se considerar nesta jornada. E algo, ao seu entender, que poderia ser melhor ajustado pelo governo com planos e programas de incentivos, bem como linhas de créditos direcionadas ao empresários de menor porte. Neste sentido, ressalta:


"Organize-se bem financeiramente, conheça bem seu sócio, se houver, e não tenha medo dos desafios.

Os desafios existirão em todos os momentos. E, uma vez lançado ao mar, o dia a dia do microempresário - sobretudo dos que ingressaram há pouco no ramo dos empreendimentos - é diferenciado. Existe muito a ser aprendido, apreendido, além de processos e procedimentos administrativos com os quais habitualmente a maioria não tem o hábito de lidar. Para tal cenário, Louise faz um aconselha:


"Não é errado não saber, tenha pessoas ao seu redor que te ajudem a conduzir suas atividades para que você cresça".

E crescer em meio a um período de pandemia é plenamente possível quando se enxergam as possibilidades, captam-se as oportunidades e se deixam alicerçadas as bases capazes de transformar o sonho em realidade. Há de se dedicar horas em planejamentos, em estratégias, estar mais habituado a se envolver com planilhas mas acima de tudo, fazer dar certo. Para quem se prepara, o segundo estágio é logo ali.


Para a empresária que reuniu-se com amigos que se tornaram sócios, que entendeu os desafios múltiplos colocados no espaço à sua frente, que percebeu que a pandemia não a limitava mas exigia de si uma estratégia mais aprimorada, que soube enxergar a possibilidade no que outros diriam ser impossível, ela entendeu que ou ganharia ou aprenderia. Mas nunca perderia. E isso é empreender, é criar algo com valor para além do produto, algo com valor para uma sociedade que precisa enxergar gestos, reconhecer pessoas. Não diferente, o investimento foi em um espaço voltado para a educação. Afinal, precisamos!




Bruno Velasco

Agência ZeroUm