• Lohanna Irie

Um novo Teatro para um novo Mundo

O que será do teatro no novo contexto mundial pós pandemia?

Toda produção cultural e artística foi prejudicada por conta da pandemia em que estamos vivendo, o teatro — em especial — foi duramente atingido, uma vez que é necessário um público físico, ou seja, uma aglomeração, fato que vai de encontro com a ideia necessidade de distanciamento social. Neste contexto, espetáculos ao redor do mundo precisaram ser cancelados. E, com arte, foi preciso que se driblasse mais esse obstáculo.


Cenário Econômico


O cenário é complexo. Toda situação deixa transparecer uma sensação de impotência e incerteza para todos os envolvidos com o meio cultural. São muitos os artistas, produtores e uma vasta gama de profissionais que estão desempregados e necessitando, assim como grande parcela da população, sobreviver do auxílio emergencial cedido pelo governo.


Apesar das soluções tecnológicas, o espaço físico do Teatro - bem como as salas de cinema - são duramente afetadas. O segmento vem tentando se adaptar a essa nova realidade, porém tem se mostrado uma tarefa complicada. Foram os primeiros a fechar as portas e provavelmente serão os últimos a reabrir. A Produção Cultural, para além do entretenimento, é uma das áreas que auxilia a 'roda' da economia. Não só no Brasil como no mundo, ter esse setor estagnado é preocupante pois são dezenas de milhares de empregos e empresas envolvidas diretamente e/ou indiretamente na produção dos espetáculos.


Ainda não há uma visão sobre como o setor cultural pode se reerguer depois dessa crise emergencial ou uma previsão sobre quando 'as portas se abrirão' novamente. Realizações que dependem de aglomeração podem não ver a “luz do sol” tão cedo, porém vem tentando se adaptar a novas possibilidades. Não é a toa que o Teatro de Wiesbadena na Alemanha abriu suas portas durante essa quarentena com autorização do governo.


O local abriu reabriu para um recital e os trabalhadores da casa pecisam serguir uma série de normas para que o Teatro continue funcionando. Respeitando o distanciamento, dentre as 1000 poltronas disponíveis, apenas 15 estavam ocupadas. Exatos 1,8 metros de distância entre as pessoas, incluindo os próprios artistas que ficaram ainda mais afastados.


No Brasil, enquanto não há previsão para o retorno das programações presenciais, muitas áreas vem investindo em conteúdos on-line. Neste recorte existe a Mostra On-line do TPE — Teatro, Pesquisa e Extensão. Segundo o jornal da UFRGS, esse projeto universitário do departamento de artes foi criado em 2003 por uma professora e vem contando com o apoio dos alunos desde então.


Esse fragmento do projeto — que é on-line — vem sendo divulgado no Instagram e no Facebook, fato que na etapa que estamos vivendo acaba bastante sua difusão. Para conhecer melhor o projeto e acessar espetáculos anteriores, o público pode acessar a página do Facebook TBT TPE .

Visualização de Mensagem de Divulgação por meio do WhatsApp.
Mensagem de Divulgação por meio do WhatsApp.

Por sinal, novos espetáculos tanbém estão em cartaz, como o caso da peça “O Fantástico Mundo de Alice” da Oficina de Espetáculos Estilhaça.


Reagindo ao momento


Todo setor está passando por um momento de adaptação. Profissionais sinalizam que estão buscando todo apoio possível. Cada um colabora da forma que pode. Não tendo como comprar o ingresso para assistir, ajuda divulgando o trabalho do seu amigo ou familiar, compartilhando nas suas redes sociais, no seu WhatsApp e nos grupos da família.


Apoio


Para você que é fã da Produção Teatral e quer colaborar, solicitamos seu apoio seja Curtindo as fotos, compartilhando-as, salvando e comentando nas inúmeras plataformas e redes sociais. A solidariedade pode ajudar os profissionais do ramo que precisam divulgar seus trabalhos durante a pandemia.


O apoio mútuo é a melhor maneira de passarmos por este momento tão difícil e “assustador”. Todos nós podemos unir nossas forças para construir um mundo melhor, mais leve e com possibilidade para que todos possam brilhar. Valorizar a arte é valorizar a cultura do nosso Brasil, nossa história e 'não deixar passar' os desafios que ainda temos pela frente.





Lohanna Irie

Jornalista, roteirista e escritora de Fanfics para Agência ZeroUm.