• Agência ZeroUm

Um show de lives: como a pandemia alterou o formato do entretenimento

Atualizado: 9 de Set de 2020


Gravação, modo LIVE. Foto: Wix Media.
Gravação, modo LIVE. Foto: Wix Media.

A pandemia do Coronavírus trouxe mudanças para a vida e rotina de todos e no setor do entretenimento não seria diferente. As alterações foram surgindo e, no ramo da música, diversos artistas viram as agendas serem canceladas e os compromissos adiados. Segundo a pesquisa realizada em março de 2020 pela DATA SIM, o prejuízo estimado para o setor é de mais de R$ 400 milhões. Como alternativa, as lives surgiram e tomaram conta da timeline e da rotina de toda a sociedade. Afinal, quem não quer a oportunidade de assistir aquele artista querido, não é mesmo?


As lives começaram tímidas, mas foram criando força e a produção de conteúdo tem sido frenética. O público tem disponível um cardápio que oferece treinos, entrevistas, makes, aquelas bobeiras que amamos, fofocas, talk shows, muita música ao vivo entre outros conteúdos.


Com o novo palco, artistas e algumas empresas começaram a organizar festivais e shows on-line. Confira!



Festivais on-line durante a pandemia


Alguns festivais fizeram sucesso e levaram alegria para as casas de todo o Brasil. Conheça alguns:



Festival #tamojunto


O festival #tamojunto foi produzido pelo jornal O Globo e trouxe artistas como: Adriana Calcanhotto, Martinho da Villa, Nego do Borel, Di Ferrero e Duda Beat.




Festival Música em Casa


O festival foi produzido pela Universal Music e GTS Brasil. Teve a participação dos artistas: Sandy, Atitude 67, Léo Santana, Paula Fernandes, Mumuzinho, Luísa Sonza, Melim e muitos outros.


E não foi só festival on-line que o mundo da música ofereceu ao público. Muitos artistas resolveram realizar suas próprias lives e ainda utilizar de toda essa visibilidade para conscientizar e arrecadar doações para o combate e prevenção do coronavírus.



Lives dos artistas influenciam para o bem


As lives, além de proporcionar entretenimento para todos, estão ajudando instituições que atuam na área da saúde, ou mesmo que estão trabalhando para cuidar daqueles que mais necessitam de suporte nesse momento. Confira alguns dos artistas que usaram da imagem para fazer o bem:



Marília Mendonça

A rainha da sofrência marcou presença nos shows on-line e tem encabeçado a lista das lives mais assistidas do mundo. O público simultâneo, em sua primeira live, chegou à marca de 3,3 milhões de pessoas. Além do sucesso de visualizações, a cantora ainda arrecadou R$ 422 mil, 100 toneladas de alimentos, 10 mil litros de álcool, 50 mil máscaras, 1 tonelada em produtos de limpeza entre outros itens.


Confira o show dessa maravilhosa, dona do Brasil:





Gusttavo Lima


O cantor ofereceu 7h de entretenimento para o público em sua primeira transmissão e atingiu milhões de pessoas em suas redes sociais e no canal no YouTube. Em entrevista à CNN Brasil, o cantor afirma que arrecadou mais de 1.000 toneladas de alimentos e mais de R$ 1 milhão. Tudo isso será destinado para instituições como: Sesc, Abrinq, Apae e outros.


"O vídeo para a live do cantor não está mais disponível".


Fernando e Sorocaba


A dupla realizou a live musical com sucessos da carreira, arrecadando mais de R$ 300 mil além de 25 toneladas de alimentos que serão doados para o “Hospital do Amor” em SP.


Você pode assistir a live completa no canal da dupla:




Sandy e Junior


Em uma transmissão ao vivo com mais de 2,5 milhões de telespectadores simultâneos, Sandy e Junior arrecadaram mais de 1.000 toneladas de alimentos para pessoas em situação de risco devido à pandemia do coronavírus. Fãs famosos e anônimos curtiram os sucessos da dupla.


Assista a live completa:



Esses foram apenas alguns dos milhares de artistas que se mobilizaram para arrecadar doações e, ao mesmo tempo, entretendo e anunciando produtos e parceiros para o público gigante que assistia.


Mas nem tudo foi positivo. A reação a algumas atitudes gerou repercussão. A dupla Anavitória recebeu inúmeras críticas ao tentar cobrar ingresso para assistir à transmissão das cantoras. A justificativa foi a necessidade de arcar com os compromissos financeiros assumidos com a equipe técnica dos shows. A atitude, porém, não foi bem vista pelos fãs e gerou polêmica, já que o restante da classe artística não estava cobrando pelos shows.



Um novo mundo de possibilidades


O ser humano é adaptável e isso não se pode negar, sempre que o mundo dá aquela mexida ele busca alternativas para sobreviver. Durante a pandemia, o ramo do entretenimento abriu os olhos para um novo modelo de trabalho que oferece mais uma janela de oportunidade. Entretanto, muitos afirmam que nada substituirá o calor humano e a sensação de estar junto em um estádio ou uma casa de show para ouvir aquele cantor, cantora ou banda favorita.


Ainda não se sabe se as lives serão mantidas após a pandemia, mas, por enquanto, só nos resta aproveitar os shows e seguir todas as recomendações das autoridades de saúde do seu município e região. Não esqueça de ficar em casa e fazer a sua parte nessa luta contra o coronavírus.


Agora, queremos saber qual live foi a sua favorita, a sua opinião sobre esse novo formato e sobre o futuro dos shows após a pandemia. Deixe aqui nos comentários e vamos discutir um pouco mais sobre o tema.

Não pare por aqui, confira também os outros artigos sobre coronavírus que a equipe da Agência ZeroUm preparou.




Bárbara Inah

Jornalista, especialista em marketing digital e criação de conteúdo para Agência ZeroUm